terça-feira, 14 de novembro de 2006

naquelas antigas juvenis

eu costumava andar nas manifestaçoes, coisa juvenil-que-quer-mostrar-consciencia politica...
ia sozinha e sempre encontrava uns punks, anarquistas e comunistas legais. desde sempre sozinha. um dia desses me despersei do grupo e conheci um rapaz chamado Mario...
Mario tinha perdido a mae com 11 ou 13 anos - a historia tm uns anos, talvez eu tenha me esquecido de detalhes meio importantes, tipo a mae ou o pai que morreu, de onde ele viera mesmo, coisas que nao lembro... claro que com o decorrer lembrarei da parte que mais importa... - ele tinha um jeito galante de falar de sartre, uma posiçao meio estranha de olhar nos meus olhos, uma vontade de ser o que eu sempre quis ser: filosofa. nao sei o que ele fazia da vida.
Sei que ele morava na residencia universitaria, mas não nos apressemos... fomos pra a praça dos leoes, lá conversamos mais, concluimos que o movimento estudantil daqui é uma merda mesmo e que se foda o pessoal acampar na praça do ferreira pra fazer farra e bebedeira... o fato é que ele tinha uma visao anti-social e atual do que é sociedade de consumo, liberdade e sexo... nao me apaixonei por ele, nem passou pelo fato dele me beijar, mas ele me beijou. um beijo metodico e longo. um beijo carregado de citações... um beijo sartriano com o velho barbudo no meu cangote. tanto é que logo apos rimos e nos agarramos fortemente, tanto é que começamos ouvir comentarios de pessoas ao longe, de jovens perdidos fazendo sem-vergonhice na praça,... me lembro que saí rindo e tinha uma gravida fumando olhando pra nós, ela parecia feliz porem com inveja...
fomos entao pra a tao famosa praça do passeio publico
me senti na decada de sessenta. militares treinando de um lado, putas trabalhando em plena tarde, homens pseudo-esportistas tarados fazendo copper na praça e nós ficamos de frente para o mar, o mar como testemunho da minha loucura juvenil... como ri, ao ver aquela cena ludica de viver sob uma imagem gigante de beleza com um menino estranho - adoro homens estranhos- e toda aquela paisagem carregada de pesares humanos, seja na puta que se vende por sexo, seja no militar que vende o corpo e a alma pra um estado que nem existe pra todos, prefiro ser puta a ser militar, ao menos puta goza, militar sangra, militar um dia teve a grande oportunidade de torturar, ao menos isso... mas hoje em dia o que se há de fazer?~
senti um prazer, onirico, capaz de mostrar aos comuns e estagnados o que é beijar numa zona, o que é discutir milan kundera entre sussurros... brigar com cara feia quando ele nao concorda, e gargalhar bem alto quando ele sorri timido que nunca tinha feito aquilo. eu tb baby.
decidimos transar
afinal nao eh todo dia que se encontra um amante que curte filosofia assim tao solitario sem influencia de terceiros, nem de modismos, a solidao o ensinou a encarar a vida e ele só encarou atraves dos livros... lembro-me que andando de onibus ele me abraçava com um carinho de quem nunca teve aquilo, um carinho virgem, solitario, contou-me a historia de sua vida triste, perdera a mae, morara na casa de terceiros até que passara em algum vestibular - creio que foi entre filosofia, historia ou ciencias sociais... -
chegando no ape, ironicamente ele diz ao porteiro que eu sou uma prima, entramos no quarto, um lugar simples, com comodas corroidas pelo tempo, ele coloca The Doors, toma um banho timidamente, sem querer mostrar o corpo, enquanto isso olho os livros do nietzsche, entre outros, alguns com tendencia marxista. E quando ele sai do banheiro fecho os olhos com uma vergonha de quem aguardou o tempo pra sentir o corpo dele, fomos delicados nesse sentido,
eu me deitei na cama, ele tirou minha roupa tocando o meu corpo docemente como uma pluma, deitou em cima de mim e ficou empinando em mim um bom tempo, como quem quer reconhecer o territorio, chegou no meu pescoço me mordendo mais forte, tao forte que ardia em mim e na minha buceta, gemia e light my fire o corpo todo. la woman la woman, quanto mais eu gemia mais ele se sentia corajoso pra desbravar o que eu tinha pra ele, you are lost little girl enfiava e tirava pra me chupar, que homem! umvirgem? nao saberei... enfiava e dizia: vc geme alto, mas como é belo, entre sussurros... como é belo... ele beliscava o meu mamilo com uma sutileza como quem quer pegar numa joia... como quem quer viver!
eramos virgens vindos de uma zona sem nenhuma experiencia sexual! mas eu gemia... gemia de prazer carregado construido exagerado, porque ele enfiava como quem está descobrindo o novo, o que nenhuma tese filosofica discute, o prazer da dor, o prazer de enfiar, de receber, o fato é que ele tinha um certo carinho em me masturbar, o carinho de quem se conhece atraves do olhar...
gemia alto, gemia olhando pela janela as estrelas do benfica. gemia olhando o rosto de um menino perdido entre livros, gemia olhando pra mim, sem querer saber da origem dele.. querendo saber qual sabor era a camisinha,
tinha um cheiro estranho a camisinha... um cheiro de fruta. provavelmente.
terminamos e ainda respirei um pouco. devo ter fumado um cigarro com ele.
trocamos telefone e sai feliz e saltitante no onibus

mas no onibus mesmo decidi nao ligar pra ele, naquela epoca eu nem me importava comigo quanto mais com os meus amantes...
depois de um tempo vi ele no biruta, fugi dele, como ainda fujo, nao sei, ele tava andando com pessoas totalmente diferente dele, do que eu fiz dele, imagino que ele desistiu e resolveu se tornar um mero mortal, ou nao. senti falta dele agora anos depois. nao sei... nao sei mesmo dos meus sentimentos levianos...
aos amantes de hoje em dia... nao se preocupem eu mudei e continuo mudando...
só nao quis perder o mario de memoria porisso escrevi sobre ele.
sao todos intensos os beijos que dou, sao todos apaixonantes.
o q leva eu querer mais?
sou safada sou perigosa sou macumbeira.
e ainda assim te espero menino mau (que nao é mario, é minha paixao mais recente, que talvez daqui ha uns dois anos eu escreva sobre ele.. hahahaha)
;)

Um comentário:

caricatas disse...

menina, maravilhoso o texto, eu não consegui parar de ler. dps quero saber dessa paixão atual. jaja estou de férias. vamos no projeto palco domingo? eu vou desfilar vestidos que criei. vai ser no mercado dos pinhões, 18h. saudades de ti. aparece lá, please. bejos