quinta-feira, 8 de novembro de 2007

beatnique

acendi o cigarro, pigarriei um pouco e quase chorei. a bem dizer da verdade me senti um tanto triste... peguei carona com um amante, putz nao houve a merda da sintonia e foi chato, mas pelo menos ele ficou de me emprestar o apartamento dele para eu poder me encontrar com outro cara. saca? até entao acendi o cigarro e pigarriei um pouco de dor no pulmao... normal.
quase chorei porque detesto ficar sozinha, porra, é uma merda... o caroneiro disse que eu vivia como uma diva: ai eu fiquei puta, não é porque eu nao trabalho que eu sou uma diva, tô mais pra beatnique. como é que voce quer ir pro rio assim? sei lá... me viro.
alias, henry miller foi pra paris sem nenhum puto. hehehehe, voce é muito lascada, menina.
bem, a passagem até que é barata, continuei, com vontade de dizer um monte de merdas, a maldita falta de sintonia, cadê o gin??? heheheh
mas a vontade é que não há vontade, só vontade de ficar ali, enchendo o saco. falando merda.
-não quero ouvir de suas amigas, vamos falar de homens!
putz. falei merda.

ele me deixou numa esquina, logo em seguida liguei pro cara, ele topou. era como se a solidao tivesse saido do meu peito. e voado pra bem longe, sai saltitando algumas escadas e a rir a bessa.
eu tenho os meus erros, como todo bom beatnique... mas pelo menos aquela tristeza bipolar - pois sim até a tristeza tem bipolaridade - não impregna tanto... porque afinal das contas o que eu nao consigo é ficar sozinha. solitaria sim, sozinha nao. na verdade o que eu quero é terminar os meus projetos e sair fora pra outra cidade, nem que seja canoa ou rio de janeiro.
- querido, isso é uma confissao, guarde segredo pelo-amor-de-abobrinha.

- ivo, sua chatice namora a minha solidao... hehehe

Um comentário:

Alê Ruoso disse...

adoro ler o que você escreve. essas coisas todas que não são tão presas assim.. :)