terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Homens e a filosofia

Percebi uma coisa dos homens: discorrem melhor suas divagações filosóficas quando ejaculam (bem, de preferência sem dormir). Porque o cara enche o papo quando é pra te conquistar, aí quando goza torna-se muito sincero quanto ao que se dedica, porque nao tem que se preocupar com que a parceira vai pensar, pq já comeu.
Tudo começou quando um amigo meu me perguntou quem eu seria na reincarnação passada: disse logo: amante de d. hume ou bertrand h. aí percebi isso. que nos meus casos anteriores eu me interessava muito mais depois que o cara gozava, sem ter que provar alguma coisa, provar que é alguma coisa...
sim, a gala tem a sua importância.
Assim eu já vi isso com sartriano engajado, analítico metafísico, ou mesmo aquele que nao sabe o que é, mas tá fazendo um trabalho sobre foucault, ou ainda spinozista ou musicista africano... ou ainda aqueles que adentram no fantástico mundo da fantasia: poesia, melodia e sorrisos ao gozo.
É um discurso aliviado de tensão e sim ESPASMOS!! KRWQHOA-----AA-AJAHAG-aindaTentoN~aOTkRkEkMkEkR
eu faço questao de afirmar que tb sou assim. a paixão surge muito mais quando o cara diz o que pensa na cama, suado e cansado. E assim faço um retalho de pensamentos e formulo eu mesma os próprios, sartriano com analítico, algo sem ser leviano, mas sério, como uma prostituição intelectual séria. Na Grécia Antiga existia as ἑταιρίστριαι / hetairístriai as cortesãs, únicas a participar dos simpósios e banquetes, putas de luxo para os capitalistas sigo os meus padrões e amo todos eles.. hehehehe
Tem uma exceção, um amigo que em vez de ter prazer eu tinha prazer em brigar com ele.
mas não vale. ele ainda não descobriu o que eu sou na cama. : )

2 comentários:

Ivo disse...

Coitado desse teu amigo
ieuahieahiuaehiueahiuhia

Micrômegas Bugu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.